A província de Cabo Delgado, em Moçambique, é um destes lugares em que o tempo avança com cuidado, sempre adiante, mas muito cioso do que veio antes: lá, os homens e as mulheres têm as mãos cheias de tradição.

 

O artesanato integra o dia-a-dia das comunidades. Os joalheiros tecem colares de prata. As oleiras alisam panelas de barro. Os escultores revelam seus deuses na madeira. E assim também, os artistas da estamparia, que tingem beleza e significado sobre seus panos.

 

Em 2010, Paula Dib conheceu de perto o sotaque único dos tecidos africanos. Como parte da III Oficina de Artesanato, promovida pela Fundação Aga Khan, uma equipe de designers e arquitetos brasileiros se encontrou em Cabo Delgado com artesãos de diversas regiões de Moçambique e da Tanzânia.

 

Na “Oficina de Estamparia”, o diálogo com os consultores estrangeiros partiu de um olhar generoso para o contexto local, que reconheceu a rica diversidade de saberes e fazeres tradicionais: assim, imbuídos do verdadeiro espírito comunitário, ou “ujamaa”, como dizem em Cabo Delgado, os artesãos abriram seus panos para novas possibilidades.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1

/// equipe

 

 

COORDENADOR DA OFICINA: Renato Imbroisi

 

COORDENADOR DO PROJETO: Emile Badran

 

DESIGNERS:

Cristiana Barreto

Eliane Damasceno

Martino Piccinini

Paula Dib

 

ARQUITETOS:

Ana Luísa Lo Pumo

André Popovic

 

FOTÓGRAFO

Lucas Cuervo

 

 

[Ano de realização: 2010]